Salta, Bruxa! O Mundo precisa do Teu salto!

Estamos a ser convidadxs a dar saltos de fé gigantes!

Estamos a ser convidadxs a sair completamente da caixa (ilusória) em que a Humanidade se colocou!

O momento é AGORA!

Vou contar-Te um pouco do processo de manifestação da Coleção Eu, Bruxa, porque também Eu fui desafiada a saltar, a vários níveis.

Estava eu a atravessar um momento de confronto com a minha sombra, quando decidi, uma vez mais, não fugir dela. Tudo o que via à minha volta parecia espelhar o que estava a viver internamente. Percebi logo que não era real, apenas uma ferida que necessitava de curar.

Num desses momentos, fechei os olhos e disse “Universo, Eu quero criar apenas o que for para mim. Que se manifeste através de mim o que for para manifestar em nome do Bem Maior.” Muito rápida e naturalmente, comecei a criar os colares, sem saber o que seriam ainda. Era algo muito profundo e muito forte. Dava para sentir. Mas só me foi revelado no final.

Durante o processo de criação, que durou cerca de dois meses, uma nova Cíntia brotou. Não sei explicar o que aconteceu. Mas a transformação foi absoluta. Comecei a sentir um power que desconhecia. Dons que desconhecia começaram a brotar e amplificar de dia para dia. Às vezes, ia dizendo: “É um power gigante! Por vezes até assusta!”

– Vai nascer uma peça com o nome Eu, Bruxa!

Estremeci! Teria que assumir publicamente o que estava a acontecer internamente. Confio no processo. Confio sempre! Disse logo que sim…

No dia seguinte, sem falar com ninguém, comecei a ver nas redes Outras Mulheres a assumirem-se Bruxas. Foi mágico sentir que afinal era um movimento coletivo, não individual. Nunca é individual.

Ao longo de dois meses, vivi um processo de resgate e transcendência absolutos! Quem Eu era em termos humanos ia morrendo e renascendo. Foi incrível (e está a ser) vivenciar tudo isto! A paz imensa que me habitava não era nada comparada com a que estou a sentir neste momento. N-A-D-A!

Mais tarde, quase no final do processo, foi-me dito o que tinha manifestado. Num momento de uma expansão gigante, canalizei tudo o que dizia respeito ao colar: o nome só seria revelado à Sua Bruxa, os exercícios que deveria fazer durante cinco semanas para ambos se conectarem, a sua função enquanto “despertador” e amplificador de dons adormecidos na Mulher que o irá usar, a passagem para as gerações que virão depois de Si, etc, etc, etc. No final, firmei novamente o compromisso de seguir sempre o meu coração, momento a momento.

– Este é um colar iniciático. E é assim que se vai chamar!

Estremeci novamente! “O que vão as pessoas à minha volta pensar?” foi a pergunta automática na minha mente. Bruxa, Maçonaria e afins… Não fomos todas julgadas e condenadas lá atrás por cenas deste género?

– Acabaste de firmar o compromisso de seguires o Teu coração sempre. O que escolhes agora?

– Assim é!

Horas depois, ao conversar com o Maridão, com as lágrimas a escorrerem-me pelo rosto, disse-Lhe o quanto me estava a sentir desafiada neste momento da minha Vida. Uma coisa é ser Eu, inteira, no dia a dia. Outra é tornar público tudo isto. “Mas Eu salto! Salto mesmo! Salto sempre!!!!!”

Hoje, um dia depois de ter lançado a coleção, vejo a ilusão que o medo nos coloca na mente! Continuamos a vibrar no medo. Pelo menos, descobri isso em mim! O medo do julgamento e condenação dos nossos dons continua nas nossas células. O que aconteceu quando publiquei a coleção? Fui inundada de amor, amor, amor! Qual foi o cenário que a minha mente criou antes deste salto? O medo do julgamento! A dor que senti lá atrás quando fui condenada e morta por usar os meus dons. Eu e muitas das minhas Irmãs Bruxas.

Hoje, quero dizer-Te com todas as letras: SALTA!!!!!! O momento de saltar é AGORA!!!!!!!! Tu não estás louca! O que vês é real! A caças às Bruxas foi lá atrás! O medo é completamente ilusório, Irmã! O Mundo precisa de Ti inteira! Estamos a parir uma Nova Humanidade! Juntas brilhamos muito mais! Quais os Teus dons? Conecta-Te com o Teu centro! Segura a minha mão! Em 3, 2, 1… SALTAMOS JUNTAS!!!!!!

Verás o Caminho a abrir completamente…

Ah! O que mais ouço e leio sobre a coleção é “Que força é esta?”, “Que poder é este?”, “Que peças poderosas criaste!”

Agora percebem um bocadinho do que me aconteceu. É tudo isto e muito mais que está plasmado em cada uma delas!

Aho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *