As Crianças não precisam de regras! Precisam de Amor!

As Crianças não são máquinas de encher! Elas merecem todo o respeito, todo o Amor, toda a proteção!

Hoje, ao observar um grupo de Crianças, senti-me triste. A maioria das pessoas provavelmente não verá mal algum no que presenciei. Sei que estou a falar para as massas. No entanto, não me vou calar em nome de ser aceite. Atirem pedras, se quiserem! Não será novidade para mim.

Hoje, em nome dos direitos das Crianças, ergo-me firmemente para dizer: RESPEITEM-NAS!!!!!!

O que vi foi algo tão simples como um comboio de Crianças duas as duas.

Já fiz parte do sistema. Já fui Professora. Já sujeitei as Crianças a este tipo de situação. O que acontece frequentemente é que as Crianças são colocadas aos pares, muitas vezes com força e com gritos e pela ordem entendida pelos adultos que estão com Elas. Já o observei inúmeras vezes.

Porque sinto que é uma falta de respeito enorme? Porque não é natural. Porque é o espelho do que é o dia-a-dia da maior parte das Crianças que frequentam instituições. Estamos a formatar Seres para se comportarem como cordeiros. Estamos a formar Seres completos e íntegros para obedecer cegamente a alguém. Estamos a perpetuar um sistema de castigo/recompensa, totalmente contra os direitos das Crianças. Elas não estão cá para obedecer! Elas estão aqui para SER!

Nós, vítimas de vítimas de vítimas (…), não sabemos nada. Se ao menos déssemos a oportunidade de as Crianças nos ensinarem! Se Lhes déssemos espaço simplesmente para SEREM, observando-As, aprenderíamos tanto sobre A Verdade!

“Mas as Crianças precisam de regras!”

M-E-N-T-I-R-A!!!!!!!!

As Crianças precisam de Amor, respeito, proteção. Se se sentirem amadas, respeitadas, protegidas, as regras deixam de ser necessárias. As Crianças precisam de conexão, silêncio, comunicação. Precisam de expressar livremente as Suas emoções, numa sociedade em que a sua repressão é o prato do dia. Não aceitamos as nossas emoções, logo, não as aceitamos nos nossos Filhos/Alunos, …

“As Crianças precisam de aprender o currículo!”

M-E-N-T-I-R-A!!!!!!!

Os robôs precisam de ser programados para cumprir funções específicas de acordo com o que queremos que façam.

As Crianças têm os Seus próprios interesses, paixões, talentos. E o sistema vai adormecendo cada um deles. E nós, que fazemos parte e colaboramos com o sistema, estamos a permiti-lo e a perpetuar esta situação. Uma Criança livre tem um gosto infinito por aprender no/do Mundo! Conheço algumas. Sei do que falo, portanto! Uma Criança institucionalizada vai perdendo a Sua conexão com a essência. Começa a tentar agradar e satisfazer as expectativas dos que a rodeiam. Sabe que será punida ou recompensada de acordo com os resultados que obtiver em testes, provas, torneios e afins. Perde a motivação intrínseca pela aprendizagem.

Chega ao final de um curso e não sabe quem é. Entra em crise existencial e assim continua, na maioria dos casos.

Fui Professora de Português. Ao longo de tantos anos de estudo e aquando do exercício da minha profissão, acho que li um livro, apenas. “Devias ser uma péssima Professora” deves estar a pensar.

A minha resposta é “Fazia o melhor que sabia e podia.” E ainda bem! Não enchi a minha mente ainda com mais coisas desnecessárias. Poupei-me de descartar ainda mais este monte de coisas que não lembram ao Menino Jesus!

Quando precisava de ensinar obras, lia os seus resumos. E olha que as ensinava bem, modéstia à parte!

Porque estou a contar isto? Porque a escola conseguiu adormecer uma das maiores paixões da minha Vida: LER! Hoje, considero-me uma devoradora de livros. Amo ler! Amo! Amo! Amo!

No entanto, nunca gostei dos livros que a escola me “obrigava” a ler. Então, dizia muitas vezes “Detesto ler!”.

“A minha Professora obrigou-me a ler este livro! Que seca! Não gosto nada de ler nem de escrever! Na escola fazemos ditados enormes! É uma seca!”. Ouvi, há tempos, da boca de uma Criança. Fiquei, uma vez mais, triste! Porque sei que Ela tem todo o direito de escolher o que quer aprofundar. E quem está à Sua volta não compreende isso. Não abranda para tentar perceber o que Ela gostaria de aprender. Sei que, se tivesse a oportunidade de escolher os temas que mais ressoam consigo, ler e escrever seriam uma das Suas paixões, pois permitir-Lhe-iam saber mais sobre os temas do Seu interesse.

Outra coisa que me causa muito incómodo é o recurso a métodos pedagógicos XPTO. O que está na base de todos eles? Introduzir o conhecimento que os adultos consideram ser o melhor para a Criança. Todas iguais, quando são todas diferentes. Mas com floreados para que sejam absorvidos mais facilmente pelas Crianças.

E a roda do rato continua…

E todos são ouvidos menos a personagem principal da Sua Vida: a Criança!

Não sabem o que é melhor para Si, mas têm a certeza do que é melhor para a Criança!

Quanta incongruência…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *